O mestre João de Castilho entre a condição de hidalgo ou pechero. O processo ad perpetuam rey memoria movido pelo filho António de Castilho (1555)

Ricardo J. Nunes da Silva

Resumo


Resumo

João de Castilho é uma das figuras centrais da arquitetura portuguesa da primeira metade do século XVI. Em traços genéricos, é possível referir que se conhece relativamente bem a sua atividade, os edifícios onde o mestre interveio e os diferentes privilégios alcançados junto da coroa portuguesa. Contudo, um dos aspetos menos conhecidos do seu percurso prende-se com o processo de reconhecimento de fidalguia solicitado pelo seu filho António de Castilho. Com nos novos documentos do Archivo de la Real Chancillería de Valladolid, procuraremos destacar neste estudo dois aspetos: as origens sociais do arquiteto João de Castilho e quais as reais motivações que levaram o filho do arquiteto a mover um processo de reconhecimento de fidalguia.

Abstract

João de Castilho is one of the most important figures of Portuguese architecture in the first half of the 16th century. In a general way we can say that its work is notorious and its buildings, as well as the privileges achieved into the Portuguese reign. However a part less known is the fact that his son, António de Castilho, required nobility recognition. Based in new documentation found in Archivo de la Real Chancillería de Valladolid we will try to emphasize two different facts: social origins of João de Castilho and the real motivations that lead his son to ask for the process of recognition of nobility.


Palavras-chave


João de Castilho, Arquiteto, António de Castilho, Fidalguia, Castela

Texto Completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

ISSN 2183-0703. Revista do Instituto de História da Arte - Centro de Investigação. Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa