A cultura material de uma elite escolarizada: os letrados portugueses da baixa Idade Média.

Armando José Norte

Resumo


Este artigo pretende recriar os padrões de vida de uma elite altamente escolarizada que viveu no reino português entre a segunda metade do século XII e o primeiro quartel do século XIV, grosso modo coincidindo com o momento fundacional de Portugal e o final do reinado de D. Dinis. O estudo será conduzido a partir das referências à cultura material do grupo, na sua quase totalidade composto por clérigos, achadas sobretudo em testamentos e obituários. Será conferida atenção a certos objetos específicos, designadamente joias e pedras preciosas, mobiliário, roupas e tecidos, tapeçarias e alfaias litúrgicas – conjunto de peças que ilustram práticas quotidianas, mas que, ao mesmo tempo, e em muitos casos, devem ser lidas como instrumentos de afirmação simbólica, estatuto social e poder económico.

Palavras-chave


Letrados; Cultura material; Bens móveis; Cripto-história da arte

Referências


ALTISENT, Agustin. – Libros y economia en los monasterios de la Edad Media. Yermo. 5 (1967) pp. 1-12.

ARIÈS, Philippe (dir.). DUBY, Georges (coord.). – História da vida privada. Da Europa feudal ao Renascimento. [Lisboa] Afrontamento, 1989-1991. Vol. 2.

CARVALHO, Elisa. – A fortuna ao serviço da salvação da alma, da família e da memória, através dos testamentos dos arcebispos e dignitários de Braga na Idade Média (séculos XII-XV). Lusitania Sacra. 13-14 (2001-2002) pp. 15-40.

COELHO, Maria Helena da Cruz. – Glossário. In Ócio e negócio. Coimbra Inatel, 1998, pp. 197-202.

CONDE, Sílvio. – A casa. In MATTOSO, José (dir.). SOUSA, Bernardo Vasconcelos e (coord.). – A Idade Média. História da vida privada em Portugal. [s. l.] Círculo de Leitores – Temas e Debates, 2010, pp. 54-77.

COSTA, Adelaide Pereira Milán. GONÇALVES, Iria. – O espaço urbano e o espaço rural. In MATTOSO, José (dir.). SOUSA, Bernardo Vasconcelos e (coord.). – A Idade Média. História da vida privada em Portugal. [s. l.] Círculo de Leitores – Temas e Debates, 2010, pp. 24-53.

D’HAUCOURT, Geneviève. – A vida na Idade Média. Lisboa Livros do Brasil, [s. d.].

DÁVILA CORONA, Rosa M.ª. et al. – Diccionario histórico de telas e tejidos: Castellano – Catalán. Salamanca Junta de Castilla y León, 2004.

DUARTE, Luís Miguel. – Marginalidade e marginais. In MATTOSO, José (dir.) – História da vida privada em Portugal. [s. l.] Círculo de Leitores - Temas e debates, 2010, pp. 170-197.

FERRÃO, Bernardo. – Mobiliário português. Porto Lello & Irmão Editores, 1990. 4 Vols.

GOMES, Saul António. – A memória dos fiéis defuntos no obituário da sé de Lamego. Biblos. 72 (1996), pp. 149-174.

GONÇALVES, Iria – A alimentação. In MATTOSO, José (dir.). SOUSA, B. Vasconcelos e (coord.). – História da vida privada em Portugal. A Idade Média. Círculo de Leitores – Temas e Debates, 2010, pp. 226-259.

HOMEM, Armando de Carvalho. – O desembargo régio: 1320-1433. Porto Instituto Nacional de Investigação - Centro de História da Universidade do Porto, 1990.

HOMEM, Armando de Carvalho. FREITAS, Judite. – Prosopografia dos burocratas régios: séculos XII-XV: da elaboração à exposição de dados. In Colóquio Elites e redes clientelares na Idade Média. Problemas metodológicos. Atas. Lisboa-Évora Colibri-CIDEHUS, 2002, pp. 171-210.

LE GOFF, Jacques. – A civilização do Ocidente medieval. Lisboa Estampa, 1983-84. 2 Vols.

MARQUES, A. H. de Oliveira. – A moeda portuguesa durante a Idade Média. In Ensaios de história medieval portuguesa. Lisboa Vega, 1980, pp. 195-220.

MARQUES, A. H. de Oliveira. – A sociedade medieval portuguesa. Aspectos da vida quotidiana. Lisboa Sá da Costa, 1974.

MARQUES, A. H. de Oliveira. – A vida quotidiana. In SERRÃO, Joel. MARQUES, A. H. de Oliveira. (dir.) – Nova História de Portugal. Portugal na crise dos séculos XIV e XV. Lisboa Editorial Presença, 1986, pp. 464-490.

MARQUES, A. H. de Oliveira. – Introdução à história da cidade medieval portuguesa. In Novos ensaios de história medieval portuguesa. Lisboa Presença, 1988, pp. 13-42.

MARTÍNEZ MELÉNDEZ, M.ª del Carmen. – Los nombres de tejidos en castellano medieval. Granada Universidad de Granada, 1989.

MATTOSO, José. – O corpo, a saúde e a doença. In MATTOSO, José (dir.). SOUSA, Bernardo Vasconcelos e (coord.) – História da vida privada em Portugal. A Idade Média. [s. l.] Círculo de Leitores – Temas e Debates, 2010, pp. 348-375.

MATTOSO, José (dir.). B. Vasconcelos e Sousa (coord.) – História da vida privada em Portugal. A Idade Média. [s. l.] Círculo de Leitores – Temas e Debates, 2010.

MORUJÃO M. Rosário (coord.). – Testamenti ecclesiae Portugaliae. Lisboa CEHR-UCP, 2010.

NORTE, Armando. – Letrados e cultura letrada em Portugal (séculos XII-XIII). Lisboa FLUL, 2013. 2 Vols. (Tese de doutoramento.)

NORTE, Armando. – Vestígios da cultura na antecâmara da morte: o caso das livrarias de mão do clero medieval português nos testamentos catedralícios. In SARAIVA, Anísio Miguel. MORUJÃO, Maria do Rosário (ed.). – O clero secular medieval e as suas catedrais: novas perspectivas e abordagens. Lisboa CEHR-UCP, 2013.

RODRIGUES, Ana Maria. – Patrimónios, direitos e rendimentos eclesiásticos. In AZEVEDO, Carlos Moreira de (dir.). JORGE, Ana Maria. RODRIGUES, Ana Maria (coord.). – História religiosa de Portugal. Formação e limites da Cristandade. [Lisboa] Círculo de Leitores, 2000-2002, pp. 284-291.

RÜEGG, Walter. – Temas. In RÜEGG, Walter (dir.). RIDDER-SYMOENS, Hilde de (coord.). – Uma história da Universidade na Europa. As universidades na Idade Média. Lisboa Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1996, pp. 19-21.

SEQUEIRA, Joana Isabel. – O fim da linha. Legados têxteis nos testamentos do clero catedralício português (1280-1325). In

SARAIVA, Anísio Miguel. MORUJÃO, Maria do Rosário (ed.). – O clero secular medieval e as suas catedrais: novas perspectivas e abordagens. Lisboa CEHR-UCP, 2013.

TRICHET, Louis. - Le costume du clergé. Paris CERF, 1986.

VAUCHEZ, André. - A espiritualidade da Idade Média ocidental: sécs. VIII-XIII. Lisboa Editorial Estampa, 1995.

VITERBO, Joaquim de Santa Rosa de. - Elucidário das palavras, termos e frases que em Portugal se usaram e que hoje regularmente se ignoram. Porto Civilização, 1962. 2 Vols.


Texto Completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

ISSN 2183-0703. Revista do Instituto de História da Arte - Centro de Investigação. Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa