Ornamentação Cerâmica Complementar no Barreiro

Isabel Augusta Pires

Resumo


O presente artigo aborda um conjunto de ornatos cerâmicos aplicados em edifícios da arquitectura vernacular na cidade do Barreiro, cujas fachadas, com e sem azulejo, são quase sempre complementadas por este tipo de ornamentação cerâmica. Muito embora esta seja uma área de estudo ainda pouco valorizada, a importância deste género de soluções fica expressa, por exemplo, no número de edifícios inventariados, dos quais apenas catorze não apresentam qualquer tipo de remate superior. A diversidade de soluções formais e decorativas que se observa no Barreiro – visível nos diferentes modelos de balaustradas, pinhas, vasos, urnas e estátuas alegóricas - cuja produção pode ser, atribuída a fábricas de Lisboa e do Norte do país, constituem outros factores determinantes para atestar a relevância da designada ornamentação cerâmica complementar. Assim, perante esta variedade e multiplicidade de ornatos cerâmicos, torna-se evidente a necessidade de alertar para a defesa e salvaguarda deste património, que urge preservar.


Palavras-chave


História da Arte; Arquitectura; Ornamentação cerâmica; Diversidade; Salvaguarda

Referências


ARRUDA, Luísa - Azulejaria nos Séculos XIX e XX. In PEREIRA Paulo (coord.), História da Arte Portuguesa, 1ª edição, vol. 3, Barcelona: Círculo de Leitores, 1995, pp. 407-437.

----------. - Caminho do Oriente: Guia do Azulejo. Lisboa: Livros Horizonte, 1998.

CASTRO, Tiago Manuel Gomes de - A cerâmica ornamental na arquitectura da cidade de Espinho: o azulejo e a estatuária. Porto: Universidade do Porto, 2009. 3 Vols. (Tese de mestrado).

Catálogo da Fabrica Cerâmica e de Fundição das Devesas - António Almeida da Costa e C.ª - Vila Nova de Gaia – Portugal. Porto: 1910.

Catálogo da Fábrica Viúva Lamego, Dossier n.º 9 – Fábricas. Lisboa: Museu Nacional do Azulejo: s.d.

CHEVALIER, Jean. GHEERBRANT, Alain - Dicionário dos Símbolos. Mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números. Lisboa: Teorema, 1994 [1982], p. 599.

COSTA, António Carvalho da, (padre) - Corografia Portugueza e descripçam topografica do famoso Reyno de Portugal. Tomo III. Cap. V. Lisboa: Off. de Valentim da Costa Deslandes, 1706-1712, pp. 32-322.

DOMINGUES, Ana Margarida Portela - A ornamentação cerâmica na arquitectura do Romantismo em Portugal. Porto: Universidade do Porto, 2009. 2 Vols. (Tese de doutoramento).

HENRIQUES, Paulo - Hipótese de um sistema descritivo das fachadas com revestimentos em cerâmica. Boletim Municipal de Cultura - Encontro Azulejaria de Fachada…de Aveiro. Ano XIX, n.º 37. Aveiro, 2001, pp. 39-46.

O Barreiro através do bilhete-postal ilustrado. Barreiro: Câmara Municipal do Barreiro, Livros Horizonte, 2005.

PAIS, Armando da Silva - O Barreiro Antigo e Moderno. As outras Terras do Concelho. Barreiro: Câmara Municipal, 1963, pp. 29-31.

PIMENTA, J. Augusto - Memória Histórica e Descriptiva da Villa do Barreiro. Lisboa: Typ. do Diccionario Universal Portuguez, 1886.

PIRES, Isabel - Fachadas Azulejadas na Margem Sul do Tejo – Barreiro [1850-1925]. Lisboa: Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa, 2013. 3 Vols. (Tese de mestrado).

__________. - The Diversity of Ceramics Claddings in the Historic Centre of Barreiro. Actas do Congresso Internacional Azulejar. Aveiro, 2012. (Editado em formato electrónico off-line).

REIS, Ana. GAUTIER, Rosa - O Barreiro na transição do século XIX para o século XX. Barreiro: Edição da Câmara Municipal, 2005, p. 145.

RIPA, Cesare - Iconologia: or Moral Emblems, London, 1709. In http://iconologia.archivi.info/e ainda emblem.libraries.psu.edu/Ripa/Images/rip [Figs.12; 187; 209; 265] - (2012.08.26).

VALEGAS, Augusto Pereira - Um Olhar sobre o Barreiro – Final do século XIX – Princípios do século XX. 2ª edição, n.º 2. Câmara Municipal do Barreiro: Dezembro de 1987, p. 2.


Texto Completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

ISSN 2183-0703. Revista do Instituto de História da Arte - Centro de Investigação. Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa